terça-feira, novembro 25, 2014

Canções 01


Novembro foi e está sendo um mês com muitas coisas para finalizar nas aulas. Tenho duas postagens começadas que terminarei depois. Uma sobre leões (mais especificamente sobre como carnistas atrasados e tapados tentam justificar sua comilança de carne usando leões como parâmetro) e outra sobre escravidão (sobre carnistas que têm pena de negros e dividem a época colonial em "negros escravos vítimas" e "homens brancos malvados" — divisão que, tristemente, não é apanágio somente de quem não entende de história, já que mesmo alguns historiadores resumem e simplificam sujeitos históricos em duas categorias: "os moços" e "os bandidos"; as pessoas se pensam altamente questionadoras quando defendem minorias de qualquer jeito, mas estão apenas sendo mal informadas ou provando a incapacidade de interpretar textos sobre a história da África). Não estou com muito espírito para escrever, mas tenho toda a alma que cabe em mim para indicar boas músicas que tenho ouvido ultimamente. Não é nenhum segredo que um dos poucos empregos realmente bons que existem seja o de radialista. 

SHE PAST AWAY 
Eu só conhecia uma música, Kasvetli Kutlama, e por causa dela já estava pensando em ir a um show deles na Polônia. Não fui porque o festival em que tocariam não valia toda a mudança de planos no roteiro e haveria uma grande chance de a banda fazer muitos shows nos próximos anos, quem sabe até no Brasil. Pois é, eles viriam para um festival que acontecerá ano que vem em São Thomé das Letras (MG), mas não virão mais, aparentemente por culpa do empresário, que fez algumas exigências absurdas e agiu de maneira "feudal", segundo o organizador do festival (o adjetivo é dele). Fiquei muito chateada. Viajarei em janeiro, mas não há nenhum show deles em janeiro para lugar algum. Parece que vai demorar um pouco para vê-los tocando. Eles são turcos, cantam em turco e têm influência de outras bandas que sempre tocam no meu quarto — exceto Alien Sex Fiend, que é uma banda que ainda não aprendi a gostar (não conheci nenhuma música que me fizesse querer ouvi-la de novo). Bom, talvez o problema esteja em mim e algum dia eu escreva para dizer que "agora adquiri a sensibilidade necessária para captar a magia das melodias do ASF". 
Deixo aqui a Sanri (no turco, sem pingo no i), mas recomendo várias outras como Belirdi Gece, Ruh, Içe Kapanis, Ritüel e Asimilasyon



CARCRASH INTERNATIONAL
O Wikipedia diz que a banda é de Londres. As músicas não são todas sensacionais, mas a banda já fez valer sua existência pelas magníficas Paradise Lost e Crash! De ontem para hoje já ouvi Paradise Lost mais de trinta vezes. 



FRONT 242
Uma banda velha que eu amo desde sempre. E este ano eu os vi tocando, cantando e dançando em Leipzig. Quando tocaram Take One, foi de chorar. Mas não chorei. Estavam todos dançando loucamente ao meu redor e eu ficaria muito fora de contexto. Quem "já ouviu falar" deve conhecer a muito conhecida Headhunter



CHICO BUARQUE
Costumo falar mal da MPB, mas não porque eu não goste dela. Gosto de muitas coisas; o problema é que os cantores que me desagradam quase me dão febre. Djavan, por exemplo, que é irritante e parece o Professor Pasquale na versão negra com trancinhas (reparem). (Pasquale não é irritante; é adorável e inteligentíssimo, só é pena que sempre me lembre o Djavan quando olho para ele.) Marisa Monte também é tão desagradável que nos faz querer matar um árabe na praia. Mas há coisas belíssimas nas obras de Chico Buarque, Elis Regina, Gilberto Gil e até Caetano Veloso (que devia só fazer música e não dar opiniões). Você vai me seguir, do Chico, é uma das várias dele que me agradam, uma música que é como um casaco de veludo num dia friozinho. 



NINA HAGEN
Antes de se tornar evangélica (felizmente não do tipo que tem cabelo até os joelhos e saias jeans até os tornozelos), Nina era uma figura excêntrica que me divertia muito. Algumas músicas e interpretações são hipnotizantes. Essa apresentação de Naturträne ao vivo nunca me cansa. A música é ótima e ela é uma bizarra. 



Agora vou tomar um chá de maracujá e estudar para uma prova. Talvez ouça Carcrash International mais uma vez antes disso. Um abraço aos que leem.