sábado, julho 27, 2013

Teste

Ensaiando um retorno para escrever sobre livros, filmes, viagens e trivialidades sobre o tempo da minha vida que vou matando como quando jogo canastra. Afinal, viver é uma espera. E se é uma mísera espera, não sei por que tantos de nós estamos preocupados com *grandes acontecimentos*. 
Continuo às voltas com o curso de História, flertando com o fumo (cada um comete suicídio como e na velocidade que lhe apetece; uns se matam de tédio e com dinheiro escondido no banco, eu me mato de neuroses e uns cigarros muito pontuais dos quais me livrarei quando me livrar de uns vinte e oito fantasmas que rondam minha cabeça), continuo no mesmo emprego, flertando com concursos ambiciosos -- e evitando ao máximo relações sociais despropositadas, porque relacionamentos públicos, problemas privados (e mentais: uma tagarelice obrigatória com uma conhecida no ônibus já me causa grande ansiedade que se torna doença porque nunca estou à vontade com ninguém). 

Os comentários estão desabilitados. Não quero ler o que não me agrada (automaticamente leio comentários, mas os desgostosos não leem o blog automaticamente e podem abandonar-me à saborosa solidão de não saber o que pensam), não quero saber quem agora é um Senhor-Qualquer-Coisa e não quero debater polêmicas. Nem todos que têm meu e-mail são bem-vindos, mas os que são bem-vindos têm meu e-mail (Camila de Souza, por exemplo), e estes podem se comunicar comigo por lá. Afora esses avisos desagradáveis, mas necessários, tentarei rimar menos com cinza.

Um texto (do escritor peruano Julio Ramón Ribeyro, que morreu por causa do tabagismo): http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-8/ficcao/so-para-fumantes
Uma música ("Pulse", Psychedelic Furs): http://www.youtube.com/watch?v=FRYuQo274rU

Abraço,